Sobre a TupiGuarani

Há 50 anos no mercado, a TupiGuarani vem se especializando em produzir produtos de qualidade, com baixo custo e satisfação para os clientes. Contando com uma equipe de 120 colaboradores, a empresa vem crescendo e ampliando o seu mercado no sul do Brasil, fruto de muito trabalho, dedicação e compromisso, além da confiança depositada pelos nossos clientes.

Com duas unidades fabris e um centro de distribuição no oeste catarinense, a empresa atende toda a região sul do Brasil, com uma produção de mais de 6 milhões de peças por mês, possuindo processos com tecnologia de ponta e uma equipe de engenheiros e técnicos qualificados.

Com qualidade, tecnologia, baixo custo, respeito ao meio ambiente, crescimento de seus colaboradores e muita dedicação: é a assim que a TupiGuarani vem produzindo e se tornando uma das maiores empresas do setor, buscando entregar o melhor produto e satisfazer os nossos clientes.

banner_1024_x_144_-_1-01-1

História

No dia 10 de março de 1953 surgia a empresa que deu origem à atual Cerâmica TupiGuarani. Fundada por Sperandio Tomazi com dois de seus filhos, Luiz Tomazi e Mário Sperandio Tomazi, e seu genro, Francisco Nicolau, que tinham o propósito de nomear a sociedade de Telhas Tupy Nicolau e Tomazi.

O nome Tupy foi inspirado em outra empresa do Estado de Santa Catarina, de outro ramo de atividade, que refletia uma marca reconhecida no mercado pela fabricação de produtos de alta qualidade, objetivo este da nova empresa que acabara de nascer.

Entretanto, na época, o sócio majoritário registrou a empresa com o nome Fábrica de Telhas Francisco Nicolau, contrariando a decisão anteriormente tomada.

fotos-de-historia-03

fotos-de-historia-02

A produção mensal era de 10.000 telhas, com um quadro de seis a oito funcionários. A técnicas de produção eram simples, através de trabalhos excessivamente braçais, além da utilização de força animal para a movimentação de materiais e de pequenas máquinas da época.

Em 1962 iniciou-se a construção de uma nova fábrica, na localidade de Nova Descoberta, no Município de Tijucas. Nesta ocasião retirou-se da sociedade o senhor Sperandio Tomazi e os demais proprietários alteraram a razão social da empresa para Telhas Tupy Nicolau Tomazi, concretizando o antigo anseio. Assim, na nova empresa, os sócios se restringiam aos senhores Luiz Tomazi, Mario Sperandio Tomazi e Francisco Nicolau.

No final do ano de 1963 foram concluídas as obras da nova empresa e assim a antiga olaria em Canelinha foi desativada. A nova fábrica em Tijucas contava agora com prensas do tipo mecânica, abandonando as antigas prensas manuais tipo morcego. Além disso, a tecnologia de queima também foi alterada do forno tipo boca aberta para o forno tipo Hoffmam. Com isso, a nova capacidade de produção da empresa chegava a 95.000 telhas por mês.

Em fevereiro de 1969 a empresa tomava novos rumos: Luiz Tomazi e Mário Sperandio Tomazi compraram a parte de Francisco Nicolau, ficando então cada sócio com 50% das cotas. Em seguida, em 10 de setembro de 1969, os novos proprietários e sócios registraram uma nova razão social para a empresa, denominada daquele momento em diante como Cerâmica Tupy Ltda. Em 19 de setembro de 1973 foi feita a primeira alteração para mudança de capital.

fotos-de-historia-01

fotos-de-historia-04

O tempo foi passando e a empresa foi crescendo. Em 1975 houve uma grande mudança tecnológica na fábrica: além da produção de telhas, foi montada uma nova linha de produção com equipamentos modernos para a fabricação de tijolos furados. No novo projeto a capacidade de produção era em torno de 240.000 tijolos e 138.000 telhas por mês.

No ano de 1982 o sócio Luiz Tomazi comprou a parte da sociedade que pertencia a Mário Sperandio Tomazi, ficando então como único proprietário da empresa.

Na ocasião, o novo proprietário herdou da antiga sociedade problemas financeiros em uma época de grandes dificuldades no mercado da construção civil, agravado ainda por problemas que abalaram a região do Vale do Rio Tijucas, decorrentes de longos períodos de chuvas que ocasionaram enchentes que de forma muito negativa impactaram, não só o setor cerâmico, mas toda a comunidade e a economia local da região.

Foi uma época de extrema dificuldade que colocou a prova toda a capacidade do proprietário, que juntamente com seus familiares, de forma organizada e com muito trabalho e dedicação, conseguiram atravessar esta fase e iniciar um novo período, que alçou a empresa a novos desafios e ao seu desenvolvimento.

Forno do tipo boca aberta para queima.

Em 1985 iniciou-se a reestruturação e manutenção nos galpões, ocasião na qual foi adquirido o primeiro caixão dosador de argila, iniciando um novo ciclo de investimentos que culminaria com uma grande expansão das instalações do parque fabril. Em seguida, no início de do ano de 1986, um dos filhos do Sr. Luiz Tomazi, que possuía formação de Técnico Mecânico em Manutenção Industrial e com experiência em desenho industrial e lay-out, auxiliou na administração e construção de um modelo de secador dito estático, além de implantar nova tecnologia de queima, como a construção de forno tipo Garrafão.

fotos-de-historia-05

Em 1989 a empresa iniciou a produção de tijolos para lajes, que no decorrer daquele ano se tornou um produto de bom desempenho e foi gradativamente ocupando toda a capacidade de produção da fábrica. Assim, ao final daquele período a empresa se especializou na produção desse produto e, no início de 1990, focou sua produção em tijolos para laje (tavela), resultando em uma capacidade de produção em torno de 700.000 peças mês.

Ao final de 1991 a empresa terminava a construção de seu último forno garrafão, totalizando dez fornos.

No ano de 1993, produziam-se aproximadamente 700.000 peças de tijolos para laje do tipo H 6/25. Em função desta grande produção, havia dificuldades para se obter a qualidade desejada nos produtos. Este fator, agregado a uma resposta positiva do mercado que indicava a possibilidade do aumento da produção, fez com que os dirigentes da empresa buscassem uma alternativa para melhorar a qualidade e aumentar a produção, a fim de atender as demandas existentes.

Neste cenário, nos meados de 1993, iniciou-se a construção de um forno túnel contínuo para substituir os dez fornos do tipo garrafão intermitente que existiam, o que resultou em um aumento de 100% da produção. Este forno, inaugurado em 1994, foi o primeiro na região, iniciando uma nova fase no setor cerâmico no vale do Rio Tijucas.

No dia 22 de maio de 1998, Luiz Tomazi, transferiu a empresa para seus filhos, João Luiz Tomazi, Valdir Luiz Tomazi, Vilmar Luiz Tomazi, Carlos Luiz Tomazi e Márcio Luiz Tomazi. Neste mesmo ano a empresa iniciou a montagem de um pequeno laboratório para o controle de suas matérias-primas e sinalizava para os primeiros passos em direção a busca de um sistema de gestão da qualidade.

Ainda nesse sentido, em busca da qualidade, no ano de 2002 a empresa reformulou seu laboratório, com a construção de uma nova área física e a aquisição de novos equipamentos.

No comando dos atuais proprietários, ainda no ano de 2002, o Grupo Cerâmica Tupy elaborou um novo projeto para a ampliação da empresa, que incluía a construção de uma nova unidade de produção com o objetivo de racionalizar a produção em função dos tipos de produtos e dos equipamentos disponíveis.

Assim, a Unidade de Produção Cerâmica Tupy seria destinada à produção do produto Tijolo Capa de Laje (TAVELA), enquanto a nova Unidade de Produção Cerâmica Guarani seria responsável pela produção de Blocos Cerâmicos de Vedação (TIJOLOS) e de Tijolo Capa de Laje (TAVELA).

A construção desta nova Unidade iniciou-se em fevereiro de 2003 e foi inaugurada em 19 de março de 2004, situada também no bairro Nova Descoberta, município de Tijucas/SC, ao lado da Cerâmica Tupy.

Já no ano de 2010, a cerâmica Guarani construiu um novo forno túnel, contando agora, então, com dois fornos. Com isso, houve um aumento em 30% na sua produção, passando agora a produzir quatro milhões de peças por mês.

Em busca da qualidade, aumento da produtividade e redução de custos, a Cerâmica Guarani automatizou completamente o seu processo de fabricação no ano de 2013, fazendo com que seus colaboradores não tenham mais que “tocar” nos tijolos, melhorando significativamente as condições dos funcionários e dos produtos. Foram adquiridos dois robôs, um para a montagem da carga nos vagões e outro para a paletização dos produtos.

Procurando atender ainda melhor os seus clientes, em 2015 a empresa inovou e estabeleceu o seu primeiro centro de distribuição na cidade de Chapecó, Santa Catarina, para atender os clientes do oeste catarinense com agilidade e rapidez.

No ano de 2016, as empresas Cerâmica Tupy e Cerâmica Guarani, passaram a formar apenas uma empresa, com o nome de Cerâmica TupiGuarani.

Nos dias atuais a Cerâmica TupiGuarani busca a inovação e adequação de seus produtos ao mercado e ao atendimento das normas técnicas legais e vigentes, buscando ainda a melhoria contínua do seu sistema de gestão, respeitando a qualidade de vida no trabalho, o meio ambiente e atendendo os anseios da sociedade e de seus clientes.

Esta é a Cerâmica TupiGuarani. Empresa catarinense do setor cerâmico que trabalha pelo desenvolvimento não só do Estado de Santa Catarina, mas também do Brasil.